PORTALGEEK





Como é feito o café solúvel?

Como é feito o café solúvel?


Ciencia · Tecnologia






Introdução

Se você gosta de café, é bem possível que em algum momento da sua vida você já tenha tomado café solúvel. Se você nunca tomou, eu já te adianto que não é a mesma coisa, infelizmente.

O café solúvel, mesmo não sendo tão bom quanto outras formas de café, tem lá suas qualidades. É inegável a facilidade e praticidade, uma vez que você só precisa de um pouquinho de água quente e uma colherzinha dos grânulos de café solúvel. Simples assim, não precisa de nenhum acessório e não faz nenhuma sujeira.

cafezinho.jpg

Mas vem cá, você já se perguntou como que é esta mágica é feita? Como que o café tradicional é transformado em solúvel e não deixa nenhum resíduo. Bom, vamos lá!

O que é café solúvel?

O café solúvel, ou café instantâneo, é uma maneira de distribuir o café podendo ser em pó ou em grânulos que são obtidos por processos industriais e que são facilmente dissolvidos em água sem deixar resíduos. Em resumo, é aquele pozinho que colocamos na água quente e vira café.



Como surgiu o café solúvel?

Tudo começou lá por volta de 1860 quando, durante a guerra civil americana os soldados sentiam aquela vontade de tomar um cafezinho mas por motivos óbvios não era uma coisa muito fácil. Foi aí que surgiu então a primeira tentativa de se fazer um café solúvel, que nada mais era que uma mistura concentrada de leite, café e açúcar. O café, ou melhor, a essência de café, era péssima e logo os soldados deixaram isso de lado.

Continua depois da publicidade


Entretanto, como a ideia de um café instantâneo era muito boa, a galera continuou trabalhando até que em 1881 o francês Alphonse Allais desenvolveu e patenteou a primeira versão do café solúvel. Depois, o Neozelandês patenteou outro processo chamado dry hot-air em 1890. Este mesmo processo foi também desenvolvido por um japonês que vivia nos Estados Unidos, até que em 1910, George Washington (não é o ex-presidente dos EUA) através da sua empresa Washington's lançou no mercado o primeiro café solúvel do mundo!

washington-coffee.png

Embora o café solúvel Washington's tenha feito relativo sucesso, o consumo ainda era baixo no mundo. Como a necessidade é a mãe da invenção, o café solúvel ficou famoso somente depois de uma improvável parceria.

O Brasil sempre produziu muito café e em 1930 a produção foi tanta que o governo brasileiro não tinha nem onde guardar e nem como vender o excedente da produção. Foi aí que alguém teve a ideia de ligar para o pessoal da Nestlé e perguntar se eles não queriam desenvolver alguma coisa para conservar o café por mais tempo.

Os caras da Nestlé não eram bobos nem nada, logo viram uma oportunidade de lançar um novo produto e começaram um projeto para desenvolver em larga escala o café solúvel. O tempo passou e ninguém conseguiu fazer o negócio bem feito até que em 1935 a Nestlé decidiu parar de gastar dinheiro com o projeto.

Tudo poderia ter acabado ali se não fosse a ̶t̶e̶i̶m̶o̶s̶i̶a̶ persistência do líder do projeto, um químico chamado Max Morgenthaler. Ele continuou a pesquisa nos fundos de casa, pagando as despesas do próprio bolso. Depois de 2 anos virando noites ele finalmente conseguiu fazer um café solúvel com um processo de refinamento muito mais avançado.

nescafe.jpg

Bom, nisso, os caras da Nestlé, que continuavam não sendo bobos nem nada, com a invenção do Max lançaram no mundo o Nescafé. Daí pra frente, boom! O consumo de café instantâneo explodiu, os processos de produção foram ficando cada vez mais modernos e o sabor cada vez mais próximo de um cafezinho passado na hora.



Como é o processo de produção

Todo o processo começa com o café verde. Se você não sabe, o café verde é o estado dos grãos de café antes de serem torrados. Em geral os produtores vendem sempre o café verde e a torra é feita pelo beneficiador, possibilitando que ele escolha o nível da torra.

cafe-grao-moido-soluvel.jpg

Curiosidade: O café solúvel bomba tanto que mais de 50% de todo o café verde do mundo é utilizado para produzir café solúvel.



Processo resumido

Quando o café verde chega na fábrica, uma equipe é responsável por analisar cada tipo de grão e desenvolver os blends, ou misturas, para compor o café solúvel. Em seguida ele é torrado, moído e resfriado. O próximo passo é retirar o extrato líquido, que nada mais é do que coar o café numa cafeteira gigante industrial. O extrato é submetido a uma secagem (desidratação) até restar apenas um pó fino que preserva (aham...) o sabor e aroma original do café. Por fim, este fino pó é transformado em grânulos e está pronto para ser comercializado.

Continua depois da publicidade




Processo detalhado

O processo industrial de produção do café solúvel é feito em etapas. O início é como qualquer outro tipo de café, separar, torrar e moer. A mágica acontece nas etapas finais de extrair do pó somente o café em si, fazendo com que ele possa ser recuperado ao ser diluído em água quente. A produção é dividida em torra, moagem, extração e secagem.



Torra e moagem

Estas etapas são as mais simples do processo. Basicamente, o café verde é separado e misturado de acordo com a especificação final a ser obtida, e em seguida torrado. A torra reduz o peso do café entre 15 e 20% e é este percentual que vai determinar um sabor mais forte mais ou mais suave para o café. Por fim o café é moído para que se possa iniciar a extração do café, e em seguida, a concentração em forma de pó solúvel.



Extração

Esta etapa nada mais é do que retirar um extrato de café do grão moído. A extração é feita utilizando água quente e pressão. O café é inserido em um extrator numa temperatura de 200 graus celsius e pressão entre 12 e 15 atmosferas. Dependendo do tipo do café, é possível transformar em extrato até 50% do peso do café moído. Por fim, são decantadas as impurezas e o extrato de café é enviado para a etapa de concentração.



Secagem

A etapa de secagem é feita retirando toda a água (desidratar) do extrato de café até que fique apenas os cristais de café. Atualmente, a etapa de secagem feita pela indústria utiliza um dos dois principais métodos, o Spray Drying ou o Freeze Drying (nenhum deles foi inventado pelo Max).

O método Spray Drying consiste em ̶s̶p̶r̶a̶y̶a̶r̶ pulverizar o extrato de café no topo de um tanque de 20 metros de altura formando uma névoa de café, que é enviada para baixo por um jato de ar quente a 200 graus celsius. O ar quente evapora a água da névoa de café o os cristais caem e se acumulam no fundo do tanque.

O método Freeze Drying, que também é conhecido como liofilização, é mais complexo e consiste em primeiro resfriar o extrato de café -40 graus celsius, moer o extrato. Em seguida, o extrato é moído em pequenos grânulos e aquecido no vácuo, fazendo com que o gelo de água seja transformado direto em vapor. O produto final é apenas a parte sólida do extrato de café, um café desidratado. Embora o método de liofilização seja mais complexo, ele é muito melhor, pois conserva mais o sabor e aroma do café.



Conclusão

Embora tomar um café solúvel não seja a mesma coisa que tomar um café passado na hora, ele tem lá o seu mérito. Ainda mais se você pensar como deviam ser ruins as primeiras versões dos cafés solúveis no mundo.

Espero que você tenha gostado dessa curiosidade.

COLEÇÕES:

Ciencia · Tecnologia





TAGS:

cafe · cafe soluvel · historia · industria · producao